RM3: Vocalistas Trevosas

Bom momento, caros amibos! Ano novo, vida nova, pulamos 7 Iemanjás, comemos ondinhas e mandamos oferendas para as lentilhas! Depois de toda a esbórnia do fim de ano vamos voltando para a programação normal, e chegamos a primeira recomendação musical de 2016! Esse post terá foco nas vocalistas trevosas que acalentam nosso corações e enriquecem nossos ouvidos!

Tem alguma sugestão para eu ouvir e escrever aqui no Super Amibos? Deixe nos comentários!

AS OCULTAS: PURSON & BLOOD CEREMONY

Vou fazer um pouco diferente das outras colunas e falar de 2 bandas em uma seção. As 3 bandas seguem a mesma tendência: bandas com som Occult/Stoner Rock com altas pitadas retrôs (distorções, riffs) e vocal feminino bem forte.

Rosalie Cunningham (Purson)

Purson é o nome de um dos reis do inferno segundo a demonologia, e também é a banda, formada em 2011 na Inglaterra, encabeçada pela vocalista e guitarrista maravilhosa Rosalie Cunningham. A voz dela é um deleite sonoro com seu tom suave e macabro, junto de seus olhares assustadores e penetrantes. Sério, eu tenho muito medo dessa mulher. Parece que em toda foto ela está encarando sua alma e julgando todos os seus pecados! A banda tem uma pegada bem retrô 70’s mais puxada para o rock clássico (Led Zeppelin, Cream) mas com temáticas um pouco mais obscuras e pesadas.

O Purson lançou em 2013 o The Circle And The Blue Door, em 2014 lançaram um EP, chamado In The Meantime… e tem um álbum previsto para 2016 com o título Desire’s Magic Theatre. Eles também foram a banda de abertura da turnê Black to the Future do Ghost do fim de 2015.

Alia O’Brien (Blood Ceremony)

Blood Ceremony é uma banda canadense de 2006 que o som pode ser definido como um crossover de Black Sabbath com Jehtro Tull e com um vocal feminino. Alia O’Brien, responsáveis por esses vocais maravilhosos além das linhas de flauta e do órgão esbanja carisma com seus sorrisos. Os sons são mais cadenciados e trevosos se comparados ao Purson, mas não perdem em energia e ambientação. As músicas realmente transmitem a ideia de cânticos de uma seita maluca devota a deuses antigos e demônios perigosos.

Em 2008 eles lançaram o primeiro album, Blood Ceremony, em 2011 o Living with the Ancients e o terceiro e mais contundente trabalho saiu em 2013, chamado The Eldritch Dark. Assim como o Purson, eles tem um álbum previsto para 2016.

A MALUCA DE OUTRORA: KATE BUSH

Talvez eu surpreenda algumas pessoas falando dessa cantora aqui no Super Amibos. Mais conhecida pelo clássico Wuthering Heights, top 10 das rádios de mãe tipo Antena 1, Kate Bush é bem mais que isso. Ela é uma maluca completa, inspiradora de várias musas dos anos 80. Seu vocal agudo é algo impressionante de se ouvir, além das construções das músicas incríveis. Veja o clipe acima, da música Breathing. A letra diz algo como:

“Somos os últimos e os primeiros, depois da explosão, pedaços de plutônio brilhando em cada pulmão […] Respirando minha mãe, respirando meus entes queridos, respirando sua nicotina, respira, espira”

Fora clássicos malucos como Babooshka, ou Army Dreamers que são tão marcantes quanto Wuthering Heights ou Breathing.

Bom, é isso aí amibinhos. Outro dia temos mais recomendações musicais!

 

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone
  • VictorHK1

    Não cara, Purson é um Jefferson Airplane moderno e Blood Ceremony tá pra algo como um Jethro Tull com vocal feminino (sim, por conta da flauta). Agora essa Kate Bush, eu sei que já ouvi algo assim, só não lembro o que foi.

    • VictorHK1

      Inclusive, adoro Purson, The Contract é incrível, acho que a música precisava de algo assim.