Super Amibos 22 – Cidade Bem Alerta (com Mikannn)

Márcio, Jone, Bonatti e a convidada Mikannn, discutem sobre Prefeito Datena, Kamiya “Pedro de Lara”, Resident Evil 2 REMAKE, Mafia 3 e muito mais no Super Amibos Cast.

DOWNLOAD DO PODCAST

AmiboPalooza

Queremos a sua presença no AmiboPalooza Vol. 1

Feeds

Assine os nossos feeds pelo iTunes ou seu agregador favorito!

Instale nossos Apps!

googleplay logo MS store logo.fw

Contato

Você pode enviar um e-mail para superamibos@gmail.com ou nos fazer perguntas no ask.fm/superamibos

Links

Participantes

Jogatinas Recentes

Seja um Patrão do Super Amibos e participe de nossas jogatinas!

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone
  • Dariecão

    O Nome do anime de culinária é Shokugeki no Souma.

    P.S.: Foi mal, escrevi enquanto ouvia, só notei depois que a convidada lembrou do nome.

  • brunopessoa

    Quanto eu mais ouço esse host falar sobre Resident Evil mais você o nível de “Credibilidade” e “o grau de sabedoria” deste host…. 😛

    A franquia que deu origem ao gênero survival horror e serviu de inspiração para inúmeros outros títulos Tanto de Survival Horror que conhecemos hoje em dia ( Dead Space, Silent Hill, Fatal Frame, Obscure e o próprio Last Of Us) e outros gêneros também (Gear of War). O primeiro jogo se passa em uma mansão abandonada habitada por monstros, o segundo se passa numa cidade pequena que está infestada por Zumbis e monstros, o terceiro se passa na mesma cidade, porém uma terrível criatura está atrás da protagonista com o intuito de mata-la e a todos que estiverem no seu caminho, enfim…típico cenário de um filme de terror (ou será que não???). Onde o próprio criador Shinji Mikami afirma que foi influenciado pelas obras do George Romero e Alfred Hitchock dois grandes bastiões do cinema de “Terror”. Bem, se isso ainda não e jogo de terror eu não sei o que é??? Talvez o Host deveria estudar um pouco mais sobre isso já que ele se diz um grande apreciado do gênero “Terror” onde ele prórpio afirma que seu filme favorito é Evil Dead 2 que é um filme de terror (ou será que não??) . Falar que Resident Evil não é um jogo de terror é a mesma que dizer que a Lua não é Satélite é um planeta, que Hellraiser não é um filme de Horror e sim um filme pornô Sadomasoquista e afirmar que O Remake do Evil Dead é superior ao original. Afirmações de cunho brilhante, né??? (ou será que não??)

    Para rebaixar mais ainda o nível, tendo em vista que o host está provido de um PC que está bem na sua frente e, ao que parece não sabe perguntar ao “Pai dos Burros” Qual é o jogo mais vendido da capcom??? Pelo o que eu sei ele sabe lêr (ou será que não), o google vai responder que é Resident evil 5 E NÃO RESIDENT EVIL 6.

    Pelo nível deste Host eu prevejo que tem largas chances de ser o próximo Jovem nerd (ou será que não??).

    • Assim, eu não tenho nada contra a sua opinião e até concordo com boa parte dela – como disse no podcast, eu considero RE como um jogo de survival horror desde o começo, etc etc…

      Mas eu custo a entender o seu jeito de fazer críticas, sempre puxando para um lado de atacar a ~credibilidade~ dos membros do programa – como se isso fosse grande coisa, já que aqui é um podcast de opiniões onde ninguém nunca teve pretensão de ser o dono da verdade…

      Se você odeia tanto o Márcio, se acha que somos pessoas sem respaldo nenhum e isso te incomoda tanto… por que você continua nos ouvindo?

      Só pra entender mesmo.

      • brunopessoa

        Oia pra falar a verdade mesmo, foi por falta de opção mesmo. Até por que a grande maioria desses podcasts de games são do mesmo nível deste daqui.

        Não se preocupe essa vai ser a ultima, por que depois dessas asneiras que eu ouvi eu simplesmente não vou dar mais atenção.

        Eu só digo uma coisa, Parabéns aos que dão dinheiro continuem assim.

        • Lucas Pires

          Ce ainda é poser

    • Dudley_o_Boxista

      Concordo com o Márcio, sou extremamente cagão com terror, e RE nem de longe é tão assustador. Ele tem como referência filmes de terror? Sim. Ele é um jogo de terror? Talvez. Pra mim é muito mais survival do que horror. RE é aquele filme de terror muito mais trash do que assustador, creio que esse era o ponto do Márcio sobre não ser de terror.

      • brunopessoa

        Antigamente todo mundo dizia que Resident evil era um jogo super assustador, hoje pelo jeito virou modinha falar mau dele.Se o jogo te assusta ou não isso é muito relativo, é de cada um não vai ser por isso que o jogo vai deixar de ser terror. É a mesma coisa dizer que um vestido Azul não é Azul é amarelo, deixa de ser opinião e vira burrice.

        • Dudley_o_Boxista

          Mas não muda o fato do jogo ter uma pegada muito mais trash, e esse é o ponto. Silent Hill da mesma época joguei faz algum tempo e é um jogo muito mais assustador. Hoje as pessoas perderam muito do medo de zumbis, uma das coisas que deve ter causado esse efeito de não se assustar com o RE2.

          • brunopessoa

            Rapaz bote uma coisa nessa sua cabecinha, Qualquer coisa sendo bem aproveitado pode virar assustador, qualquer coisa mesmo, tá??

            Silent hill já não tá com essa bola toda.

          • Dudley_o_Boxista

            Pode ser, diferente de realmente ser. Tudo que vi recentemente de zumbis sequer se focava neles, serviam somente como pano de fundo pra personagens e histórias bem construídas. The Last of Us e The Walking Dead por exemplo. Ou são usados como piada, como em Zombicide, zumbilandia, etc.

            Enfim, no mais, não custa ser educado com as pessoas.

          • brunopessoa

            Eu sou educado com quem eu quiser!!

          • Lucas Pires

            POSER

    • Vitor

      Rapaz, quanto ódio no coração. Ainda mais contra o Márcio, que favorita todo mundo

      • brunopessoa

        Ele pegue o favorito dele e enfia lá no c…. dele

        • Vitor

          Vei, falando numa boa mesmo e sem rasgar seda pra nenhum lado.

          Tudo é uma questão de proposta. Gosto do cast porque reúne notícias (que muitas vezes passam batidas pra mim no decorrer da semana) de uma forma bem humorada e com um ou outro aprofundamento, dependendo do conteúdo. Se uma parada como uma informação boba errada dessa (qual jogo da franquia vendeu mais) te incomoda tanto, simplesmente deixe de ouvir. Eu mesmo já deixei de ouvir podcasts que eu gostava bastante, porque chegou uma hora que, na minha avaliação, eu não estava mais aproveitando meu tempo ouvindo aquele programa (e olha que eu continuo curtindo os caras ainda assim). Às vezes algumas coisas não nos atraem mesmo, mas nem por isso quer dizer que sejam ruins para outras pessoas.

          Agora, quem errou de verdade mesmo foi você, de partir pra uma ofensa gratuita assim. Pensa bem o que você sai ganhando com uma postura dessa…

          • brunopessoa

            Eu só estou aqui pra defender a minha franquia favorita de gente que só fala muita merda.

          • Lucas Pires

            pouser

          • João Dobbin

            Se algo precisa de tanta defesa assim, tá na hora de repensar a qualidade.

        • Lukas Tavares

          Quanto ódio dentro de si jovem…

          Tome aqui esse coração, faça bom uso dele…

          Tenha um ótimo dia…

    • Lucas Pires

      POSER

      • brunopessoa

        TÊNIS VERDE HIPSTER VIADINHO!!!

        • Lucas Pires

          ta

          • Guitto

            O.O

    • Patrick Ribeiro

      Não. Resident Evil deu origem ao NOME survival horror. Em relação as mecânicas e conceito, foi Mistery House o pioneiro, seguido por Sweet Home e consagrado com Alone in the Dark. Só explicitando pq a galera idolatra resident evil e sequer sabe dos que existiram anterioremente.

      • brunopessoa

        Pelo que eu vejo o nível de conhecimento de algumas pessoas aqui é de impressionante!!!

        Tente ler de novo que você o que quis dizer, leia 666 vezes só pra ter certeza.

        • Lucas Pires

          poser

    • João Dobbin

      Eu acho inacreditável como a internet proporciona tanta coisa boa, mas ao mesmo tempo tanta coisa ruim. Qual a razão por trás de um comentário recheado de ironia e “hate”? Se discorda da opinião do cara, promova uma discussão saudável ao invés de ficar sempre na ofensiva. Mas não, prefere descontar as frustrações pessoais atrás do escudo da internet. Eu mesmo discordo da opinião do Márcio até certo ponto, mas não vou vir aqui pirraçar, jamais. Até porque Resident Evil 4 é o melhor jogo da franquia e foi quando deixou de ser um jogo de terror para se tornar ação. Mas enfim, lamento por você.

  • Vitor

    O problema dos feminismo são as feminista… Tipo elas estão afastando pessoas do próprio movimento, com comentários de “cala boca vc é homem” ou a sara winter falando que quer matar todos os homens que veem pela rua… eles podem ate ser a minoria, aquele negocia a pessoa so se manisfesta para falar mal, mas elas fazem MUITO barulho… e meio que mata a discussão pq quando alguém tenta falar algo sem ser extremista vira “SEU FEMINAZI” ou seu “MACHISTA DE MERDA”. E assim, mesmo elas não sendo as feminista de “verdade”, caído na falacia do “escocês de verdade”, eles que estão indo para rua, estão se indignando no facebook, falando que quando um homem morre é menos um machista… esse é o problema… e esse extremismo idiota enfraquece pq so vai criar mais haters para o movimento… e o hater vai odiar tudo do movimento sem motivo… no meu caso eu não consigo ser a favor do feminismo pq eu so vejo o lado negativo, eu ate agora não vi um vídeo de uma feminista falando algo que não seja algo ridículo contra os homens, feminista falando coisas que “mudariam minha opinião”, pode existir mas o problema que isso não chega a mim, eu estou me usando como exemplo de uma pessoa que não vai atras de algo relacionado ao feminismo podemos dizer que a surface do feminismo esta poluída com bobeiras e assim e isso não é exclusivo do feminismo mas como ele esta em pauta nesse momento… acredito que feminista menos radicais, poderiam se manifestar mais, para poder atingir as pessoas da surface, e que não vão mergulhar para ir atras de algo mais serio…

    • Eu entendo a sua opinião… As pessoas que conheço que são “feministas moderadas” geralmente não se dão ao trabalho de ficar expondo os seus pontos na Internet, acho que muito porque vai ter um monte de gente “contra” e elas não têm saco pra ficar explicando suas opiniões mais e mais para pessoas que já têm a opinião formada e que não vão mudar por conta de um vídeo ou um texto na Internet.

      Eu não consigo dizer que elas estão erradas.

      Na real, eu acho que muito dessas opiniões mais radicalóides vêm de pessoas que querem atenção, e utilizam argumentos mais extremistas como “click bait”.

      Nós aqui no Amibos soltamos nossa opinião ocasionalmente no meio dos podcasts quando achamos que é pertinente – mas nós não somos um podcast sobre feminismo, e eu acho que ninguém aqui teria saco de fazer um site “militante”.

      • Vitor

        Meu maior problema com o feminismo é o mundo binário… ou vc é feminista ou vc é um babaca ‘-‘

        Bem eu acho um movimento muito anárquico sem uma liderança forte vira bagunça e bagunça ja tem de sobra as pessoas estão protestando sem argumento, des do fora dilma a mostras o peitos na rua… independente se é a marcha das vadias ou é protesto a favor do aécio… as pessoas vão para a rua, so para tirar selfie e isso não é algo exclusivo do feminismo… mas é um treco chato… pessoas que tem um ponto de vista e independente do argumento eles vão mudar, bem tento so entrar em uma discussão se eu tiver um motivo para eu mudar minha opinião, um exemplo bobo para eu virar religioso eu preciso de provas que deus existo, e se um religioso me provar isso eu vou mudar de opinião, claro no caso do feminismo eu não quero algo tão extremo, eu so quero bons argumentos… e as feminista em geral não fazem isso e isso é muito chato pq vira uma discussão que não vai ter final, então pq eu vou perder meu tempo com elas se elas não vão me dar um argumento valido, acredito que discutir qualquer coisa na internet é assim… mas…

        –////–

        Eu não sou a favor do movimento feminista eu acredito que ficar pelada no meio da rua não muda em nada… Como eu acho que ficar com uma placa escrito fora dilma também não muda em nada… Acho um movimento muito desorganizado, e muitas attwhore se aproveitam disso.

        Eu não sou tão a favor das ideias feminista, acho que um movimento contra o sexismo seria melhor, a feminismo sempre cai na máxima dos integrantes so se importarem com a mulher e foda-se o resto, aquela velha ladainha que todos conheçem…

        E o pior que existem mulheres que acreditam que o homem aproveitam 100% do machismo e so as mulheres saem prejudicadas, o machismo é ruim para os dois lado e o termo feminismo cai muito para mulher e tem pessoas que acham isso, é triste mas é verdade como tem haters do feminismo tem pessoas cegas pelo feminismo, todas as ideologias são assim…

        –////–

    • Ainda sobre feministas ~moderadas~, se não ouviu, recomendo ouvir o podcast Mamilos. A opinião delas é claramente feminista, mas elas não chegam nesse nível burro de extremismo.

      Atualmente é um dos meus podcasts favoritos, recomendo muito!

      http://www.b9.com.br/podcasts/mamilos/

      • Henrique Tavares

        Mamilos é o podcast mais amor da internet!

      • Phelioz

        Mamilos é um bom podcast… Dito isso: “moderadas” tem que ser bem sinalizado mesmo… Uma coisa que uma das participantes já repetiu mais de uma vez (e acabei de ouvir denovo no inicio do episodio mais atual) é:

        “Feminismo é o meu ponto cego” e complementou dizendo que se vc discorda do feminismo na opinião dela você é Babaca…

        É uma postura bem extremista, apesar dela ter a consciência e avisar… Dito isso, sabendo que ela é mega feminista dá pra ouvir já com essa ressalva, e as discussões são interessantes (se vc entra sabendo da posição filosófica fechada dela)

        • Eu discordo que ela seja feminista extrema, porque meu ponto de vista de “feminista extrema” é: “Todo homem tem que morrer”, “Todo homem é um estuprador em potencial”, e coisas do tipo.

          Eu entendo o ponto de vista delas quando dizem que “se você discorda do feminismo é babaca” porque geralmente o feminismo delas está mais associado à igualdade que a privilégio… Mas isso sou eu, sei que muita gente que é contra feministas vai discordar

          • Phelioz

            Não, não… Desculpa a correção, mas você está confundindo feminismo com misandria…

            O que vc considera como feminismo extremista é uma pessoa misândrica extremista… As duas coisas podem andar juntas? Uma mulher pode ser feminista e misândrica ao mesmo tempo? Sim… Mas não quer dizer que a misandria dela reflete o feminismo…

            Quando falo de uma feminista extremista eu estou dizendo que é uma pessoa que assume que a contestação dos argumentos feministas já está errada por padrão… O extremista é “dogmático”, você não consegue convencer ele dos seus argumentos pq. a postura dele já está “fechada” (Qualquer um que vá contra o feminismo é babaca).

            Uma feminista moderada seria a Christina Hoff Sommers, que é uma feminista que defende a igualdade, MAS não é dogmatica.. Ou seja, ela analisa as questões de interesse ao feminismo de maneira cética ao invés de dogmática: PRIMEIRO analisa as evidências DEPOIS tira as conclusões.

          • Aaah, é muito termo… gosto de me recolher à minha ignorância e simplificar misandria como radfem!

            Brincadeira, já tinha lido sobre o termo e tinha me fugido completamente.

            Mas por tudo que já vi elas falando eu tenho pra mim que elas ouviriam contra argumentos de forma mais aberta do que essa declaração pode sugerir. Mas isso sou eu cagando regra e supondo baseado em porra nenhuma (hehehehe)

            Enfim, eu gosto do podcast delas e acho que todas as vezes que abordaram o feminismo foram coerentes e mantenho minha indicação como “feministas não radicais” (baseado no exemplo que o @disqus_qkLF8IpUti:disqus citou como feministas radicais)

          • Phelioz

            Justo. Eu endosso a recomendação, pq. considero um podcast bom também, só achei pertinente fazer a ressalva baseado na postura da própria host *rs*

            Alguém que tem várias reservas em relação ao discurso feminista poderia se assustar ouvindo o podcast 31 delas… Nesse podcast em especial (que é o penultimo que saiu) generalizaram a coisa de uma forma que a mulher foi retratada como santa e o homem como um filha da puta… Uma generalização que não é justa. MAAAAAAS, isso é assunto lá pro podcast delas *rs*

          • Henrique Tavares

            A Jú tem deslizes, como quando elas faziam aqueles podcasts “só para as meninas ouvirem porque os meninos não vão entender”, e depois elas falam “nossa, que surpresa que os meninos foram mente aberta” 😛

            Devo admitir que às vezes elas tocam em assuntos que me são incômodos de ouvir pois parece que elas tão criticando a gente. Mas a gente sempre sai mais consciente, mesmo que por vezes transtornado e contrariado. É como falou um email que elas leram: “o que não aperta não segura, o que não arde não cura”. Frase perfeita.

    • Henrique Tavares

      Olha cara, eu vejo o feminismo assim: você não precisa desgostar do feminismo por causa das feministas – ou melhor, as radfems, como são chamadas as tão extremistas que não aceitam nem trans pois elas já foram homens.

      Por exemplo, eu gosto de coisas nerds, mas odeio muito nerd elitista babaca aí. Também adoro metal, mas a comunidade dos metaleiros é cheia de egocentrismo e arrogância. E o feminismo é muitão relevante mesmo com algumas loucas que parecem que procuram briga. 🙂

      • Márcio Barrios

        Assino embaixo, não é pq vc é contra o discurso do MalcomX que vc tem que ser a favor do racismo.

        • Henrique Tavares

          Eita, por essa eu não esperava. Que discurso do Malcolm X?

          • Até onde eu sei – não sou historiador e o tema me foge bastante ao conhecimento – o Malcolm X era a favor de uma abordagem mais “bélica” na reconquista de direitos, ou seja, que os negros pegassem as armas e enfrentassem o Estado diretamente, ao invés da abordagem mais pacifista do Martin Luther King Jr…

            Ele defendia também a criação de instituições “de negros, para negros”, meio que separando a sociedade negra da sociedade branca judaico-cristã.

          • Henrique Tavares

            Pô, valeu Jone! Só sabia que o Malcolm X é cultuado nos EUA, fiquei com medo da comparação que o Márcio fez, haha. Mas no sentido de combater violência com violência não sou muito a favor também não.

  • Phelioz

    Ouvi brevemente vocês repetindo a história do contexto… *rs*

    Eu gosto muito de modificar meu Skyrim (que por sinal tive que desinstalar denovo pq eu “quebrei” ele de tanto mod que coloquei)… Comecei a modificar ele pra ficar o mais realista possivel… No meu jogo vc podia ficava com frio e seu personagem ficava doente se ficasse no frio… Ele podia fazer um acampamento e fazer fogo… A medida que corria, pulava, nadava aos poucos ia ficando cada vez melhor nessas ações… Podia vestir uma mochila pra carregar mais peso, prender uma lanterna na cintura pra iluminar o caminho… ENFIM…

    O jogo tinha ficado ultra realista… Cheguei num ponto que eu tinha a opção de instalar um MOD em que os bandidos *estupravam* as suas vitimas (eu tinha outro mod que fazia os bandidos atacarem pessoas nas estradas, e outro que colocava npcs nas estradas :P)

    Acabei – pela minha experiencia como jogador – optando por não instalar esse MOD, apesar de ser algo bem “game of thrones” e realista… Eu fiz isso não pelo contexto, que no jogo objetivamente faria mais sentido os bandidos de fato estuprarem algumas das suas vitimas… Eu decidi não instalar pq. – mesmo considerando o contexto – acho que seria “deletério” pra minha experiencia de jogador…

    Por ser um video-game, ele não está escravo ao que é o mundo real, e não esta limitado ao contexto que supostamente emula…

    Acho que os platequines nas mulheres de jogos medievais e as meninas com poucas roupas naquele shooter são mais ou menos a mesma coisa, mas do lado inverso:
    – colocar mulheres bonitas seminuas, que agrade os olhos do jogador, acrescenta uma experiencia boa, positiva pra esse jogador, mesmo que esteja fora de contexto…

    O publico alvo desses jogos não são as feministas… A partir do momento que forem, comercialmente os desenvolvedores talvez tenham que se adaptar… Mas “fugir do contexto” não é algo que deva ser condenado, banido, censurado quando fugir do contexto tras uma experiencia positiva pros jogadores.

    EU prefiro meus jogos de fantasia medieval com platequines… Gosto de como a armadura fica, e colocar a mulher em full plate *pro meu gosto* ficaria esteticamente pior…

    • Rafael Bard

      Acho mulheres de armadura um tesão. Mas tem que ser armadura completa mesmo e usando espada montante. Aí eu vou ao delírio hahahah
      Mas é foda que quando você vai ver uma mulher de armadura nos jogos a maioria das vezes ela está usando um bikini blindado +10. O que é ridículo

      Isso me lembra que no jogo Dragon’s Dogma eu fiz a minha namorada como Pawn e vesti ela com a armadura do Griffith do berzerk. Ficou uma maravilha

      • Phelioz

        Mas a fullplate é totalmente inviavel como é mostrada nos jogos também… Se vc esta falando de realismo, também seria totalmente impratico os herois usarem fullplates pra lutar pelo mundo… 😛 O cara teria 0 de capacidade de esquiva, e só conseguiria usar a armaduras – na melhor das hipoteses – por algumas poucas horas antes de ficar completamente fadigado… XD

        Já o platekine, que é algo puramente estético, não impede a pessoa de lutar e se aventurar por ai, apesar da defesa proporcionada ser pifia…

        Entre os dois tipos de armadura: Fullplate ou platekine, o platekine é a opção mais realista 😛

        Edit pra um comentario: Mesmo fullplate sendo inviavel, sou a favor delas nos jogos também pq são totalmente baddass, ignorando o realismo *rs* Mas acho que as mulheres ficam mais bonitas de platekines… *rs*

        • Por mais jogos com uniformes do Batman by Joel Schumacher (mamilos included)

        • Rafael Bard
          • Phelioz

            <= OWNED
            Eu me curvo perante a sua fullplate!

          • Rafael Bard

            O problema é a gente poder apenas imaginar como são as coisas e tentar achar resultados baseados nisso. É muito fácil eu pensar que uma armadura com certeza pesa demais para qualquer coisa porque só a minha jaqueta de couro reforçado pesa mais que 5Kg. Então uma armadura é bem mais tensa.
            Esse é o tipo de discussão que a galera sempre tem no RPG, mas todo mundo se esquece que os caras subiam escadas, montavam cavalos, carregavam espadas imensas e etc. Esse vídeo só mostrou o que a gente não pensou.

          • Phelioz

            Verdade… Mas bem interessante… O cara até tirou uma onda dando uns polichinelos *rs*

            E sim, meu raciocinio impróprio partiu das inumeras penalidades que a armadura completa dava no RPG… Maldito Monte Cook, me induzindo ao erro *rs*

          • Rafael Bard

            Foda que justamente com as penalidades a gente pensa ser extremamente pesada a ponto de você quase não se mexer, sem levar em conta que o peso é distribuído pelo corpo inteiro, mas ao mesmo tempo ela é quase de papel. Porque os golpes cortam e perfuram. Pra perfurar uma armadura é preciso uma Katana muito bem feita

  • Dudley_o_Boxista

    Como já comentei aqui algumas vezes, concordo com a opinião do Jone sobre kickstarter, acho que deveria ser uma ferramenta pra ajudar no desenvolvimento de jogos que não tem como sair sem o apoio do público e tão somente dele.

    E sobre a Capcom, depois do anúncio de como funcionará Street Fighter Fighter, acho que eles podem estar sentindo o marketing negativo que atraem com as atitudes que já tomaram. E acharia bacana um remake do RE2.

    Toda vez que o Márcio fala Mika eu ouço Miga xD

  • Vitor

    Caraca, Márcio, que flashback que deu quando você falou desse HP do GBC. Foi o que eu mais gostei também. Lembro que ele vinha com a opção de idioma português (que na época ainda era bem raro), mas era o de Portugal. Eu me cascava de ler umas paradas haahhaha Até hoje não entendi porque nas versões seguintes eles não mantiveram o estilo RPG, era bem melhor.

    #favoritegames (bem rapidinho)

    Ocarina of time: acho que nunca fiquei tão impressionado em um jogo (talvez porque na época eu era bem pequeno, devia ter uns 10 anos) quanto na primeira vez que saí no Hyrule Field. Por coincidência, na onda do SGDQ tava vendo uns speed runs semana passada. Irônico como um jogo tão perfeito e “bem acabado” consegue ser tão quebrado (dá pra sair da Deku Tree e ir direto pro castelo do Ganondorf)

    Shadow of Colossus: é o comentário mais clichê que existe desse jogo, mas lá vamos nós de novo: foi a primeira vez que me dei conta de que games também podem ser forma de arte. Confesso que peguei ele no lançamento e talvez pela formação na época não curti muito logo de cara (até troquei por RE 4). Alguns anos depois resolvi dar outra chance e zerei em 2 sentadas só pensando “pqp, o que eu tinha de errado na cabeça?”

    Mass effect 2: escolhi o 2 pra representar a franquia por ser o melhor, mas amo todos. Um dos universos mais criativos e coesos que conheci, povoado por personagens extremamente cativantes

    Bioshock Infinite: também fiquei bem em dúvida entre escolher o Infinite ou o Bioshock 1, então fui no que me impactou mais, talvez por ter jogado antes (a evolução técnica de um para o outro é bem nítida, então custou um pouquinho quando voltei pro 1, mas ainda assim está na minha lista de consideração). Um shooter com uma jogabilidade deliciosa, mas que nem por isso deixa de explorar elementos complexos de narrativa.

  • Patrick Ribeiro

    Cara, acho que esse foi o melhor podcast de vocês. Me fez sentir raiva (não de vocês) e alegria ao mesmo tempo. Esse lance de não conhecer ninguém é fogo, eu sei bem como é, tô indo sozinho do RJ pro Amibopalooza e não conheço ninguém haha, sempre rola aquele medo de “porra vou ficar com cara de tacho la”.
    Maltratar animais e racismo são as coisas mais escrotas da face da terra. Pessoas públicas como o Hulk Hogan merecem ser banidas sim. Agora, tem casos e casos, sou totalmente contra tacarem coquetel molotov na casa da mulher que chamou o aranha de macaco, saca?
    Falando de coisas boas. Essa menina é MUITO simpática e kct, quem dera se toda feminista fosse igual a ela! Sabe falar, é tranquila e sem radicalismos. Também acho que vocês perderam público, eu mesmo confesso que fiquei cabreiro quando vi a chamada desse cast. Mas confio no tato de vocês e tal, obviamente. Parabéns mais uma vez pela sinceridade e principalmente o não radicalismo!
    E agradeço a Mika pelas dicas de Jornalismo, vi que tô indo pelo caminho certo!

    ps: Final Fantasy IX só perde pro VI! 😀

  • Rafael Bard

    WWE o que rapaz! O negócio é WMAC Masters! hahaha

    Uma das misturas do reporter no Tropa de Elite 2 foi o Wagner Montes do Cidade Alerta.

    “ele me bloqueou gente”
    uhauahuahuahauhauhauhauhauhauhauhauhauahuha

    Sobre o Red Ash, ainda bem que vai ser lançado. Eu estou esperando por um jogo assim por muitos anos.

    Resident Evil já não tem mais esse negócio de inimigo dropar itens no Revelations 2. A munição é algo raro e tem que ser achado no cenário. E não cai dinheirinho deles também não auhauhau
    Ainda assim, eu considero que esses drops não são tão ruins. Porque se você parasse pra revistar um por um ia achar algo útil de qualquer forma. mas é apenas um joguinho e ficar revistando corpo por corpo não rola.
    E essa parada que o Marcio falou dos jogadores se cruzarem eles já fizeram no RE6 e ficou muito foda!
    Eu estava jogando com o Leon acompanhado de um jogador que eu não conhecia, enquanto isso uma outra dupla de jogadores estavam com o Chris e Piers e outro jogador que estava com a Ada fugia. Foi sensacional!
    Eles procuram jogadores para se juntar enquanto o jogo da load e pergunta se voce aceita se juntar a outras pessoas.

    Esse negócio de se assumir feminazi eu acho errado, porque vocês não são exatamente isso. mas eu entendo o ponto do Jone. Não vou fazer nenhum comentário sobre o feminismo agora porque os senhores já conhecem o meu ponto.

    • CARALHO! WMAC MASTERS!!!!! Sempre quis ter um BONEQUINHO do Tsunami! huahauhauhauhaa

      Caramba, não sabia dessa parada do online do RE6… Precisava ter jogado mais (desisti no meio e agora meu PS3 fritou)

      Sobre o lance de “feminazi” eu fiz uma zoeira de auto-depreciação – não me considero feminazi. 😛

      • Rafael Bard

        Eu também cara! Adorava o Tsunami! hahahaha
        Foda que eos caras tinham barra de life hahaha
        Preciso assistir isso de novo xD

        É cara, perdeu mesmo. Porque era mais fácil conseguir isso perto do lançamento, quando ainda bombava. Agora o pessoal só quer saber de jogar versus, inclusive o babaca aqui comprou o modo Siege atoa ¬¬

  • Leonardo M Alves

    Não consigo dizer quais são meus 4 jogos prediletos, apenas franquias prediletas. Franquias que eu cresci jogando, e as 4 que eu mais acompanhei foram:
    Megaman, Final Fantasy, Shin Megami Tensei e Dragon Quest.
    Muitos dos jogos que eu fiquei horas e mais horas perdido dentro deles foram dessas séries.
    E adorei a participação da Mika, conheci ela na do omelete e sempre dou uma olhada no canal dela no youtube. Voto nela para ficar no lugar do Lucas rsrs.

  • Rafael Bard

    Já ia me esquecendo:
    #4favoritegames

    1 – Megaman X
    Simplesmente o jogo que me fez querer ter um Super Nintendo. Acho que se não fosse por Megaman X eu não teria muito interesse em ser desenhista e hoje em dia não seria designer gráfico.

    2 – Xenogears
    O primeiro jogo que me fez chorar. Porque a história dele é tão profunda e sombria que é bem emocionante. É muito fácil se apegar aos personagens.

    3 – Streets of Rage 2
    O jogo que eu zerei todo santo dia durante (vou chutar) uns 2 anos mais ou menos. Eu jogo até hoje, zero ao menos 2 vezes por ano. Antes jogava com meu pai e meus amigos e agora jogo com minha mulher.

    4 – Castlevania Synphony of the Night
    Mais um que explodiu minha cabeça e é um dos meus favoritos até hoje. Zero ele ao menos uma vez por ano pegando praticamente todos os itens do castelo.

    pena que são só 4. Se tivesse espaço colocaria Metal Gear, Guilty Gear, Blazblue, Airmech, Chrono Trigger, Chrono Cross….meu deus…é muito jogo auhuahauh

    • Incrível como SotN aparece da lista de quase todo mundo que jogou (está na minha também)

      • Rafael Bard

        Incrível como um jogo que peguei “sem querer” me levou a outro jogo que amei e quando cresci percebi que muitas pessoas o amam.

        Eu conheci Castlevania da seguinte forma:
        Eu – Tem Bomberman 4?
        Camelô – Não. Eu posso te arrumar o 5 mas só semana que vem
        Pai – Escolhe outro jogo, depois a gente pega Bomberman
        Eu – Mas eu queria Bombermam =/
        Camelô – Faz assim, leva essa fita aqui e joga ela por uma semana. Se você não gostar, pode vir trocar pelo Bomberman.

        Era Castlevania vampire Kiss. Eu joguei feito doente e zerei em uma semana. Mas troquei mesmo porque a Clock Tower me deu um ódio absurdo.
        Anos depois vei meu primo com o Playstation e eu conheci o SOTN.

  • Felipe Pimentel

    Esse #4favoritegames foi bem complicado de pensar… eu tenho os 3 primeiros bem definidos mas o 4º é um empate gigante…

    1- Portal 2 – tá aqui como 2, mas representando o 1 tb… o Portal 1 foi uma das melhores experiências de games que já tive… lembro de deixar baixando o piratão enquanto saí com a patroa, cheguei quase 1h da manhã em casa, resolvi instalar só pra testar e acabei dormindo quase 5h da manhã quando finalizei o jogo. O 2 pra mim é melhor (apesar de achar o 1 perfeito e o 2 não) pq foi o sentimento do 1 num jogo com história, universo e personagens mais bem construídos… sem contar o coop que fiz com um amigo que foi fodástico.

    2 – Mass Effect 2 – esse tb tá na lista puxando toda a franquia. Lembro que comecei a jogar numa quarta-feira de cinzas logo após terminar o primeiro… e com 2h de jogo, eu já estava maravilhado com o jogo (coisa que o 1 só conseguiu mais pro final). Lembro de soltar um baita sorriso e gritar “GARRUS!!!” quando encontrei com ele no início (detalhe: tinha um monte de gente em casa e o nerdão aqui tava feliz no joguinho por ter encontrado um alien amiguinho xD)

    3 – Dark Souls – minhas quase 1000h de jogo explicam por si só essa paixão. Comprei ele quase junto do meu X360 mas só fui jogá-lo meses depois quando um amigo me incentivou a dar uma chance (antes, eu não conseguia nem passar do Taurus Demon). Quando matei as gárgulas, eu estava completamente viciado já… foram mais de 3 meses só jogando isso até a “platina”, incluindo os 10 dias que fiquei preso em O&S e que quase me fizeram quebrar o controle e desistir do jogo… lembro de como eu tremia e de como meu coração batia quando finalmente consegui derrotá-los… =’)

    4 – The Walking Dead Season 1 – não vou falar muito pq não sei se alguém que nunca jogou vai ler esse comentário… mas esse é um jogo que me faz chorar muito. Chorei quando terminei, chorei quando vi minha namorada jogando o último episódio, já chorei vendo vídeos no youtube, já chorei quando ouvi o Games on the Rocks em que eles falaram do jogo e tô chorando agora de novo enquanto escrevo isso…

    Menções honrosas (ou “empate técnico no 4º lugar”): Bioshock Infinite, Shadow of The Colossus, Jouney, Bloodborne, The Last of Us, Uncharted 2, Rayman Legends e Asura’s Wrath.

  • Sobre Bruno Pessoa nos comentários do Super Amibos…

    http://i.ytimg.com/vi/DF6iVTBvgu0/maxresdefault.jpg

    • Rafael Bard
    • Márcio Barrios

      hauhauhauhuahuahuhauhauhauhuahuahuahuhua teamo

    • Márcio Barrios

      ele só queria um abraço, um carinho nos cabelos e um sussurro no ouvido de que tudo vai ficar bem 🙁

    • Phelioz

      https://youtu.be/gOMhN-hfMtY

      Não sei pq. mas esse internet drama me lembrou este clipe do eminem *rs*

    • é aquele Bruno Pessoa puxa saco do márcio dos tempos do drinknplay?

  • Kedlove

    Amei a participação da mika <3

    Para quem ainda não entende oq tanto as mulheres lutam, deixo aqui um vídeo compartilhado pelo JM Trevisan, sobre um evento realizado com o intuito de reunir mulheres que jogam RPG, alguns relatos narrados pelas entrevistadas é de partir o coração.

    link: https://www.youtube.com/watch?v=DSbVQ5YpmmM

    PS: RE é uma merda(mentira, mas não é Survival HorrZZzzzZzzZzzz)

    PS2:(OU SERÁ QUE NÃO????)

    • Rafael Bard

      Cheguei a compartilhar isso. Ainda bem que na região onde jogo não rolava essas paradas. E nossas mesas eram bem diversificadas por assim dizer

      • Kedlove

        Onde eu morava(sou de SP e vim morar recentemente em Curitiba), rolava exatamente isso, na época eu já achava zoado como os caras tratavam as meninas que queriam jogar junto, e no fim deu o óbvio, elas desistiram de jogar e param de vez. =/ O mais triste de td que elas falaram, é que vc consegue encaixar isso em qualquer situação meio que não seja normal(mas deveria) a presença de mulheres, como futebol, videogames e tantos outros lugares onde as mulheres são praticamente expulsas.
        A galera que não entende todo esse movimento, precisar escutar de uma pessoa que sofreu esse tipo de preconceito para entender a dor de querer fazer parte e não ser deixado por ter nascido diferente.

        • Rafael Bard

          Aqui no RJ o normal é que se você joga RPG, Magic, Videogame, você é o virjão e nenhuma mulher vai tentar entrar nesse meio.
          É sempre aquele papinho “adoro videogame” e depois de levar uma surrinha de leve do jogo é “eu nem gosto tanto assim mesmo, você que é viciado hahaha”. Aí você vê que ela finge querer se entrosar e novamente você é o virjão.
          Quando tem aqui uma mulher que gosta dessas coisas, ela não cresceu gostando disso. É sempre ex namorada de nerds

          • Kedlove

            É basicamente isso mesmo, o mais engraçado é ver nerd dizendo que sonha em ter uma namorada nerd, e quando aparece uma menina os caras tratam ela com total desrespeito, cara fica sozinho e não sabe pq ;P

        • Dariecão

          Aqui tem tão pouca gente que jogue RPG que não temos esse problema. Ja tive grupo que era meio a meio (duas gurias e dois caras).
          O problema aqui é falta de mestre mesmo, heh

          • Kedlove

            Na época que eu jogava só tinha 1 menina que sobreviveu aos xingamentos gratuitos, essa menina posteriormente virou minha namorada, as amigas dela deixaram de jogar justamente pq os NerdAlpha expulsaram elas =

        • Eu jogo Destiny no multiplayer direto e frequentemente sou o último do meu time, normal, acontece, eu sou ruim…

          A minha esposa também tenta jogar… e ela recebe mensagens do tipo “NOOB DE MERDA” pra baixo. Coincidência? Eu acho que não

    • Quando o Trevisan gravou conosco comentamos sobre esse vídeo… Muito bom!

  • Alex Amaro

    Sério, fui ver os comentários e fiquei com medo O_O
    Realmente não entendi o ódio do cara O_________O

  • Alex Amaro

    E já falei isso no face e digo novamente, gostei bastante da participação da Mika, espero que futuramente ela apareça no cast. ^^

  • Dariecão

    Estou profundamente decepcionado com o fato de ninguem ter posto Persona 4 nessas listas de jogos favoritos, vocês precisam de mais alegria na vida de vocês :). Segue a minha:

    Persona 4 (PS2)
    Dark Souls (PC)
    Shining Force: the legacy of gods (Mega drive)
    To The Moon (PC)

    • Vitor

      To com 50 horas de Persona 4 atualmente e gostando bastante, mas não tanto quanto você hehe

      To the moon é o jogo que mais me impactou sentimentalmente e a história mas linda que já vi, não só em game como em qualquer outra mídia, mas fiz minha lista considerando games levando em conta também o aspecto da diversão. Querendo ou não a jogabilidade dele cansa (apesar de eu achar que game foi a mídia ideal pra contar a história que ele propôs) e não tenho a mínima vontade de revisitá-lo, enquanto que os que pensei quando fiz minha lista eu poderia zerar uma vez por ano que seria difícil de enjoar.

      Dark souls ainda não joguei (meu flagelo) e esse outro não conheço hehe, mas legal tua lista!

      • Dariecão

        Na minha lista, cada um é por um aspecto diferente.
        Dark souls é pela experiência unica de jogabilidade que ele me proporcionou.
        To the moon é pela história que só não mexeu mais comigo por que eu ja sabia os spoilers.
        Shining force é pela nostalgia, eu jogo esse jogo há mais de 10 anos sem cansar.
        E Persona 4 é por motivos de Kanji e Naoto <3

    • Julio Cesar Bezerra De Boni

      Eita doido, postei na minha 😀

  • Alex Amaro

    Fiquei pensando bastante sobre o 4 favorite games, vejamos:

    Goof Troop – Super Nintendo
    Contra III: The Alien Wars – Super Nintendo

    Diablo 3 – PS3
    Destiny – PS3
    Diablo 3 e Destiny são importantes para mim pelo fator do multiplayer com meus amigos, foi algo que realmente me afetou profundamente dividir a campanha e ter ajuda deles enquanto jogava. ^^

    • Felipe Pimentel

      Acho que esse foi #4favoritegames mais diferente que vi xD

    • Rapaz, nunca imaginei que alguém colocaria Destiny num top 4, mas entendo o lado. Quando joguei RE5 online com um amigo, foi a melhor experiência multiplayer que já tive.

      • Alex Amaro

        Sim, o multiplayer de Destiny foi uma das melhores experiencias que tive com amigos, fiz novos amigos por causa desse jogo. ^^

        Só queria que a história do jogo fosse melhor abordada e.e

  • Lukas Tavares

    O mais irônico dessa lista é que odeio point-and-click’s e meu jogo favorito da vida é The Walking Dead…

    P.S. Me julguem, Zelda The Minish Cap melhor Zelda.

    • Acho que o @marciobarrios:disqus concorda com você quanto ao Minish Cap

    • Henrique Tavares

      Minish Cap é divertidão mesmo, mas nunca consegui me comprometer a fazer 100% nele.

  • Julio Cesar Bezerra De Boni

    Vou entrar na brincadeira e postar aqui os meus #4favoritegames. Vo fazer um copia e cola da minha lista que está no twitter.

    #4 – Persona 4 – Provavelmente, persona 4 é o jogo mais recente dos meus 4 favoritos no momento. Joguei ele no final do ano passado na época de férias. Sempre ouvi falar muito bem dessa série por ser um RPG mais “moderno”, ao misturar as mecânicas básicas de cards alá pokemon com os social links (espécie de laços de relacionamento entre o protagonista e certos NPCs do jogo). E por ter um enredo que me interessou muito (a despeito dos outros shin megami) e a mecânica de relacionamentos que está amplamente relacionada com as batalhas (quanto mais laços, mais fortes são os seus bichos), persona 4 merece o 4 lugar

    #3 – Bioshock Infinite – Joguei The Last of Us quando comprei o meu ps3. Na época falei que este seria o melhor jogo da geração pra mim. Contudo, quando joguei bioshock infinite, TUDO MUDOU (MUAHAHA). Primeiro por conta da mecância de FPS fluída e com jogabilidade muito competente. Além de possuiur um dos melhores enredos de jogos eletrônicos que vi na vida. Por isso, medalha de bronze.

    #2 – Dark Souls – Sentia uma mistura de amor e ódio quando comprei de um amigo o DS I de PS3. Me interessei principalmente por conta da fama de ser um jogo difícil e queria me desafiar. Nos primeiros meses gostei um pouco do jogo, odiei ele a partir de blighttown a ponto de parar de jogar durante 2 meses. Mas, quando voltei a jogá-lo e fechar pela primeira vez me apaixonei por ele. Dark Souls é um dos poucos jogos que tenho a “obrigação” de zerar pelo menos uma vez por ano (ou tentar né, pq a vida não tá fácil ahhahahahah). Enfim, mecânica excelente, aliado a dificuldade sob medida e a possibilidade de interações online que revolucionaram os jogos (a despeito do demons souls), DS merece a medalha de prata.

    #1 Mega Man 2 – Obviamente, a nostalgia conta BASTANTE nesse caso. Com certeza absoluta esse jogo estará com a medalha de ouro para sempre por vários motivos. Primeiro pq comecei a jogar video games por causa da porra desse jogo INCRÍVEL (digassedipassagem) quando eu tinha 2 anos no meu falecido turbo game. Segundo pq mega man foi um dos pioneiros na época em possibilitar ao jogador um ampla gama de possibilidades em progredir no jogo deixando 8 chefes iniciais pra vc lutar. Terceiro por possuir um trilha sonora de CHORAR DE TÃO BOM. Quarto por adorar o visual do jogo. E quinto por causa das sobrancelhas do Dr. Willy (mentira, essa foi zuera).

    COmo menção honrosa deixo: Mega Man X, Super Mario World, Donkey Kong Country 2 e Pokemon Red de game boy

  • Henrique Tavares

    Teria muito mais facilidade se fosse um Top 3: Symphony of the Night, Super Metroid e Prince of Persia: Sands of Time.

    No quarto lugar tenho os seguintes concorrentes:
    Journey, Shadow of the Colossus, Ocarina of Time, Chrono Trigger e Okami. Acho que vou de…

    Chrono Trigger. Talvez não me dê aquela injeção de nostalgia e afeto como alguns outros, mas rejoguei uns meses atrás e, caramba, ele é PER.FEI.TO em tudo. Até a trama é equilibradinha para TODOS os personagens, não tem um largado. E esse sim é o rpg que nunca precisei me incomodar com grind por mais de 10 minutos, muitas vezes por esmero. E o fato de ter aquele time, se juntando e fazendo um jogo assim… parece que nunca mais na humanidade vamos conseguir algo assim novamente. 😛

  • DukeMagus

    Postei no grupo do Patreon, mas vou trazer para cá pro pessoal daqui também discutir (se a moderação discordar da ação, é livre para deletar)

    “[…]Terminei de ouvir o SAC da semana. Uma série de pequenas discordâncias (normal, enquanto eu discordo eu posso procurar informação sobre. quando eu concordar 100% em tudo é porque algo está errado), mas uma das notícias (que consumiu boa parte do tempo no fim do cast), foi a d Hulk Hogan. E nessa em especial eu verifico discrepância tanto na forma como foram dados os fatos como em opinião. Como vocês também são moderas do grupo, se não gostarem do que eu disser é só deletar o post, nada se perde. Então segue a minha análise dos fatos (com uma fonte diferente)

    A situação do Hulkster vai BEM mais longe do que atualmente e em análise, mais parece uma colossal cebola: camadas em cima de camadas de fatos. O primeiro ponto a se levantar é de onde veio toda essa treta.

    Em 2012 a Gawker media (casa da Kotaku) vazou uma sex tape do Hulk Hogan com a mulher (ex mulher?) do radialista “buba the lovesponge”. Quando foi solicitada a tirar o vídeo do ar por expor a vida privada de uma pessoa, eles se recusaram porque, segundo eles, “liberdade de expressão é para isso” (explico a frase entre aspas mais tarde). Nisso, o Hulk entrou com uma ação contra a Gawker no valor de 100 milhões por danos morais.

    Ao que tudo indica, a Gawker tinha mais material adquirido ilegalmente sobre a vida do Hulk Hogan. Grampos, gravações ilegais, etc. E por meio de manobras legais (dizendo que utilizariam esse material na defesa conta o processo que estavam sofrendo), conseguiram de volta mais gravações que estavam confiscadas pela justiça americana.

    Curiosamente, o mês de julho foi um dos mais controversos para a Gawker Media: Eles publicaram uma peça sobre o executivo de uma empresa rival supostamente contratando um ator pornô gay para acompanhar ele nem uma viagem. Mais do que isso, o ator estava tentando usar a influência do tal executivo para fins particulares. Quando o executivo em questão pulou fora, o ator pornô (que é teorista da conspiração de carteirinha e já tem ficha policial) vazou dados para a Gawker, que não hesitou em publicar a notícia e arruinar a vida do cara. Para muita gente foi a gota d’água, e dezenas de sites caíram de pau em cima desse tipo de violação de direitos, que é caso comum na Gawker Media. A coisa foi tão feia que um diretor executivo precisou vir a público afirmar que a empresa irá se reestruturar para ser 20% “mais legal” e 2 editores se demitiram alegando que “vender seus valores assim é contra liberdade de expressão” (ó a “liberdade de expressão” sendo usada de escudo para destruir a vida alheia novamente)
    Como o Hulk Hogan já tinha sofrido assédio similar, essa conduta odiosa da empresa deu força para o caso dele, e um processo de 100 milhões poderia quebrar a rede de notícias.

    Dias depois da notícia citada no parágrafo anterior e de eles recuperarem o material que disseram que usariam em sua defesa vaza para o tablóide “National Inquirer” com a gravação polêmica, e muda todo foco da mídia contra o Hulk Hogan, inclusive a visão do caso dele (que depois disso teve o julgamento empurrado para 2016, vale dizer).

    Sobre as fitas em si, vale salientar:
    1 – A sex tape vazada e a fita com as alegações racistas não são a mesma, a não ser que você acredite quem alguém gosta de lamentar sobre as escolhas da filha no meio do soca-soca.

    2 – A fita com as alegações racistas possui MAIS DE OITO ANOS, e faz pelo menos uns 5 que a lenda da WWE está tentando se “reinventar” como “bom cristão”. Acesse o twitter dele se não crê: cheio de “God bless you”, “only love”, “my brother” e coisas do tipo, então ele ESTÁ TENTANDO SE REDIMIR DO PASSADO. ESTÁ TENTANDO SER UMA PESSOA MELHOR.

    3 – Isso é uma questão de convicção, mas eu acredito que o CONTEXTO da ação fala muito nesse caso: para quem não leu o Inquirer, o que ele lamenta é que gastou 3 milhões na carreira musical da filha e nada deu certo, daí do nada aparece um empresário, adota a carreira dela e começa a sair com ela. Um velho rabugento no âmbito particular, supostamente sem dever nada para ninguém, expressa sua raiva de forma politicamente incorreta! Olhem para vocês mesmos. pensem quantas vezes vocês não falaram ou pensaram coisas politicamente incorretas no âmbito de sua privacidade! Isso mostra preconceito? Sim, mostra. Mostra que essa pessoa AGE e INFLUENCIA os outros de forma racista? NÃO. Isso faz da pessoa automaticamente pária para a sociedade, merecendo perder tudo o que conquistou durante a vida, por algo que nunca fez ou apoiou na vida pública? Essa é a pergunta que eu deixo para vocês.

    Mais do que isso, a WWE possui um tremendo teto de vidro para tentar apagar o homem majoritariamente responsável pelo sucesso do Wrestling desde os anos 80. Um dos comentaristas, Michael P.S. Hayes também fez alegações racistas PUBLICAMENTE, e só teve uma suspensão de 60 dias (está na ativa até hoje, vale dizer). Stone Cold Steve Austin (outro grande nome no meio) possui acusações de violência doméstica. Vince McMahon (um dos donos da WWE) possui várias acusações de abuso sexual nas costas!

    Por fim, para uma pessoa tão “racista” e “ruim para a WWE”, Hulk Hogan recebeu bastante apoio de estrelas, muitas do mundo das lutas e afrodescendentes.

    George Foreman, Kamala (lutou na WWE), Mike “Virgil” Jones (luta na WWE), Dennis Rodman (NBA), Tito Ortiz e disco Inferno (WCW), e ontém mesmo apareceu umas fotos do Hulkster com Mike Tyson no facebook dele.

    Até a filha dele, que foi a bucha da maior parte das críticas, veio em apoio ao pai (de uma forma meio boba, admito: escrevendo um poema sobre o pai dela)

    Ninguém nega que o que ele fez na vida privada dele é algo feio e ruim, mas será que algo que ele fez sem nenhum intuito de moldar opinião ou fazer mal a ninguém merece que ele seja apagado da história do esporte que ele ajudou a popularizar? Será que vale destruir a vida dele por uma violação da privacidade do cara? Francamente, quem apoia com força total o que está ocorrendo com ele parece muito com alguns religiosos que condenam as pessoas ao inferno simplesmente por não serem da religião deles, independente do que a pessoa faça ou de o quanto ela tente se retratar pelo que fez de ruim”

    • Rafael Bard

      Só essa parte de “momento íntimo” já está absurdamente errada pra mim. Eu posso falar merda a vontade na minha casa. É um direito meu. Mas daí alguém gravar e usar contra mim e me punir como se eu tivesse dito em público é foda.
      Se ele fala isso em público, ok, vamos tirar esse cara das paradas. Agora algo tão pessoal, não tem a menor necessidade

  • Vinicius SS

    Caras, vou correr certo risco aqui já que o grande problema do Brasil é interpretação de texto.

    Um avanço enorme que vejo hoje é que certos preconceitos e até mesmo racismo diminuiu a níveis consideráveis. Na minha infância quem era negro sofria todo tipo de apelido e brincadeira imbecil. Na escola ou na rua. Hoje não vejo mais. Baiano idem. Quem é de SP vai lembrar que nos anos 90 dizer “baianão” ou “coisa de baiano” era a coisa mais comum do mundo.

    Hoje o cara que solta um comentário racista ou preconceituoso das duas uma: ou é louco/alienado e não viu essa transformação ou é aquele caso citado no cast do cara que viveu tanto tempo nesse mundo que faz as mais diversas racionalizações para justificar o que ele é e como ele pensa.

    Agora, outra armadilha comum é que me emputece é o tal “fulano tem cara de safado”. Porra, como assim? Não se pode julgar alguém pela cara. E muita gente acha isso ok. Não é ok.

    Lembro que me entrevistaram numa pesquisa onde, baseado somente no rosto (foto), eu deveria dar adjetivos as pessoas tais como “honesto”, “trabalhador”, “preguiçoso”…

    Mandei um “cara, você é louco? Que pesquisa é essa?”. Aí ele me explicou que a ideia era justamente essa: mostrar o quão isso é besta.

    Agora é onde corro risco. Acho racismo e preconceito uma merda. Mas as pessoas são bem merda também. Entendo que alguém pode não ter controle sobre aquilo que ela sente (e consequentemente pensa). Mas ela tem controle sobre aquilo que ela faz. Você pode achar que fulano tem cara de safado. Mas você não pode dizer isso ou agir mal em relação a ele em função disso. É como o ciúme. A pessoa tem ciúme e pronto. Agora o que ela faz em relação a isso é o que conta. Ela controla? Ela faz showzinho e bate boca? Ela fala na manha com o par?

    A velhinha citada pelo Márcio é o tipo de imbecil que a gente tá esperando morrer pra ver se isso acaba de vez. Mas se essa velhinha não agisse como agiu pra mim já seria um grande avanço.

    Não estou defendendo quem é racista ou quem é preconceituoso. E quem achar isso sugiro que releia meu comentário e até me pergunte se assim desejar.

    Grande abraço,
    Vinicius

    • Henrique Tavares

      Não ficou parecendo que você defende os preconceituosos não! Aliás, achei bem válido ser dito que a consciência das ações é o mais importante. Às vezes até é isso que ajuda a pessoa a moldar a cabeça pra uma nova mentalidade, em vez de simplesmente rechaçarmos eles por completo, o que pode criar maaais resistência.

      Acho que vivi algo parecido com meu pai. Ele já foi muito intolerante e babaca, mas com o tempo a gente foi dando aqueles toques de “poxa pai, não fala isso” e (junto à outras questões) ele foi se adaptando, até porque ele via que a gente tava se afastando dele. É como o Márcio falou, você simplesmente vai dando uma leve constrangida na pessoa nesses momentos 😛

    • Rafael Bard

      Ler este post me fez lembrar como tem gente que fala “ah mas você é branco e não sabe o que é racismo”. Sendo que eu vivi na periferia e na minha sala nunca tinha muitos alunos brancos. Eu era um dos mais brancos. A quantidade de apelidos era sensacional. Até a professora me tratava como lixo e me xingava de varios apelidos também. Depois na adolescência, ter que aturar um sogro negro racista ao extremo foi foda. O cara chegava pra um dos meus melhores amigos, que é negro, e falava “você ganhou pontos comigo só por ser negro. Você que devia namorar minha filha”. É triste ter passado por isso sendo uma pessoa que admira tanto a pele negra. A minha mulher que é mais branca que eu até fala que não sabe o por que estou com ela se gosto tanto de negras. Eu brinco dizendo que ela é negra por dentro.

      Fico feliz que as coisas estão mudando. Foi realmente muito triste o que passei e sempre fiquei pensando “se eu que sou branco passei por essa merda toda, imagina quem é negro”.

  • Michel Melo de Souza

    Melhor jogo no Estilo

    • Rocket League? Sem dúvidas! hauhauhauha

    • Ah, foi mal, a imagem não tinha carregado 🙁

      • Michel Melo de Souza

        HAHAHAHA, fiquei tentando entender sua resposta e não consegui.

        • hahahaha, seu comentário tinha aparecido logo abaixo do vídeo do streaming de Rocket League

  • Vinicius SS

    Meu #4FavoriteGames:

    Megaman 2
    Super Mario 3
    Last Of Us
    Bioshock Infinite

    Dói escolher 4 jogos e deixar Mario Galaxy, Shadow Of Colossus e tantos outros de fora. Mas é a vida…

  • CARACA A MINA DO OMELETE

  • Eu sou levemente racista com chineses, indianos e arábes baseado em experiências negativas prévias…reprimo isso ao máximo e sei que é errado mas não consigo corrigir este problema 🙁

    • O importante é tentar ser um ser humano melhor 😀

  • Raoni Leal

    Finalmente uma presença feminina para abrilhantar ainda mais o podcast.

    Se bem que o menino Corraini já faz isso com maestria :v

    • Ser um homem feminino não fere o eu lado masculino, já dizia Ney Matogrosso

  • Wallan Vitor

    Muito foda foi esse podcast e acho que falta mais as participações femininas nos podcasts e até em sites de games, espero que cada vez mais aumente as participações. Referente ao programa acho que o WWE tomou a atitude correta em tirar Hulk Hogan, o cara cometeu um erro grave e a empresa fez o certo q foi afastar ele.
    Espero que o Remake do Resident saia e que eles mudem pouco, mais as partes gráficas e o controle, fica melhor se não tiver muita inovação especialmente nesse caso e também espero jogar Mafia II, porque fiquei empolgadão com o que foi dito sobre o jogo.
    Parabéns pelo podcast caras!!! Sempre muito foda!!!